CIDADES DE PAPEL (JOHN GREEN)

CDP2

Cidades de Papel ∙ John Green ∙ Editora Intrínseca

Quentin Jacobsen – apelidado de Q –, um garoto meio nerd, é apaixonado desde a infância por Margo Roth Spiegelman, linda e popular.  O clichê acaba aí pois, numa certa madrugada, a garota invade o quarto dele pedindo ajuda num plano de vingança e Q, é claro, aceita. Depois dessa noite, ele espera que tudo mude entre os dois, mas Margo desaparece. O garoto então conta com a ajuda dos amigos para achar pistas e segui-las, mas quanto mais Quentin descobre, mais ele percebe que Margo não é quem ele pensava.

CDP1

O livro é dividido em três partes: a madrugada, as pistas e a busca. A fonte, a diagramação e o espaçamento são bons e o livro é pequeno, dá pra ler em um dia :)

CDP3

Não sei por que ainda me surpreendo com o John Green. Mais um livro impecavelmente escrito e com uma história maravilhosa! Comprei Cidades de Papel sem ter lido nada sobre e não me arrependi nem um pouco. A história é bastante reflexiva e o final me surpreendeu. Como já mencionei aqui no blog, os personagens são sempre cativantes e escrita do autor é leve, mesmo quando se trata de temas pesados. Dos três livros que li do autor, acho que esse foi o que eu mais gostei.

– Nada acontece como a gente acha que vai acontecer – diz ela.

–  Verdade –  digo. Mas depois que penso a respeito por um segundo, acrescento: –  Mas, se você não imaginar, as coisas sequer chegam a acontecer.

(Cidades de Papel, pg. 354)

Ah, e se você quiser saber mais sobre o livro, o John Green responde algumas perguntas dos fãs nesse vídeo aqui! :)

Nota: ♥♥♥♥♥

Espero que tenham gostado da resenha! Foi curtinha mas foi de coração, hehe. Esse foi um dos livros que eu li nas férias, por isso as fotos num lugar diferente. Me conta se você já leu Cidades de Papel ou se ficou com vontade de ler! Um beijo <3

O Teorema Katherine (John Green)

02

O Teorema Katherine ∙ John Green ∙ Editora Intrínseca

Colin Singleton, um garoto prodígio (não um gênio), tem em sua lista de ex-namoradas nada menos que 19 integrantes, todas chamadas Katherine. Com a intenção de esquecer o recente término de sua relação com a Katherine XIX, Colin embarca numa road trip com seu melhor amigo Hassan. É nessa viagem que tem a brilhante ideia de elaborar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que determina quanto tempo durará cada relacionamento e quem será o “terminante” e o “terminado”.

05

O livro me cativou não apenas pela história incrível. Ele é repleto de notas de rodapé muito divertidas e gráficos, exemplificando a matemática do livro. Possui páginas amareladas e capítulos com flashbacks, que mostram a trajetória de Colin com as 19 Katherines. Outra coisa que eu achei super legal foi o apêndice no fim do livro, em que a matemática do Teorema é explicada de verdade por um professor da Universidade de Chicago.

04

O Teorema Katherine foi o segundo livro do John Green que eu li. Assim como em A Culpa é das Estrelas, os personagens são muito cativantes! Colin quer se tornar um gênio porque é velho demais pra continuar sendo prodígio; Hassan é um judeu gordinho que não quer fazer faculdade; e Lindsey é uma caipira que não sabe muito bem o que quer. Cada personagem tem características específicas que os tornam únicos, além de fazer história ser fugging incrível.

03

Recomendo esse livro pra qualquer pessoa, de qualquer idade. A dose certa de drama e humor, além do final com reflexões muito bacanas.

Nota: ♥♥♥♥♥

Espero que tenham gostado da resenha! Nesse tempo que fiquei sem postar eu li alguns livros então tenho várias resenhas pra fazer. Me conta nos comentários quais livros do John Green você já leu/tem vontade de ler, ok? Beijo <3

PS: Desconsiderem a marca de mordida na capa do livro. A Summer comeu.

Tag: Meu marido literário

books 2
Imagem: Reprodução

Hoje vim responder pra vocês a tag Meu Marido Literário que eu acho muito legal! Vi as perguntas no blog Sete Coisas há um tempinho (ele taggeou todos os leitores) e salvei o link nos favoritos, mas só lembrei de fazer esses dias. A tag consiste em escolher entre personagens de livros o seu par perfeito! Vamos às perguntas:

1. Que características fazem um personagem entrar na sua lista de “maridos”?
Reparando bem nos personagens masculinos que eu mais gosto, todos gostam de ajudar os outros e são “bonzinhos”.

2. O que menos te atrai em um personagem?
Não gosto de personagens chatos. Tem que ser legal, tem que fazer rir!

3. Quem é o seu atual marido literário?
Como foi o último livro que eu li, o Maxon da trilogia A Seleção.

4. Qual o seu marido literário mais gato?
O Zach de Sorte ou Azar (como eu imagino porque né, rssss).

5. Cite 5 dos seus maridos literários:
(fotos de como eu imagino)

dylanDavid  A Garota Americana ∙ Meg Cabot

Já li A Garota Americana TANTAS vezes! É definitivamente um dos meus livros preferidos e grande parte desse amor se deve ao David, o filho do presidente. A Meg Cabot se superou nesse livro! Foi muito difícil pensar em algum famoso que se parecesse com o David da minha cabeça, mas quando eu lembrei do Dylan O’Brien, pensei: “É ESSE! Só que com os olhos verdes”. Hehehe. Apenas.

nickMaxon Schreave ∙ Triologia A Seleção ∙ Kiera Cass

Já falei nas resenhas (1 e 2) que sou totalmente #TeamMaxon. Ele é literalmente um príncipe. Cavalheiro, gentil, educado e humilde. Mesmo algumas atitudes dele em A Elite terem me incomodado, eu aceitaria numa boa ser a America! Eu imagino o Maxon com a cara do Nick Jonas, hehehe.

joshPeeta Mellark  Trilogia Jogos Vorazes ∙ Suzanne Collins 

Quando eu li os livros pela primeira vez, o filme ainda não havia sido lançado, mas eu já sabia que quem interpretaria o Peeta seria o Josh Hutcherson. Eu imaginei o personagem moreno, apesar dele ser loiro. Ele é maravilhoso e eu sofri DEMAIS com o que aconteceu com ele em A Esperança (quem leu sabe do que eu to falando)!

gusAugustus Waters  A Culpa é das Estrelas ∙ John Green

Gente, pfvr! Existe alguém nesse mundo que leu esse livro e não se apaixonou pelo Augustus Waters?! Apesar de não ter chorado lendo (pois é, eu choro vendo Faustão e não choro lendo A Culpa é das Estrelas), me emocionei muito com o final. Indico muito esse livro porque não é uma história sobre câncer clichê, a forma com que a doença é abordada é SENSACIONAL. Escolhi a foto do Joshua Anthony Brand, porque é i-g-u-a-l-z-i-n-h-o ao Gus que eu imaginei!


zac
Zach  Sorte ou Azar ∙ Meg Cabot

Li esse livro mais ou menos em 2008 e quando vi o personagem Zach, já imaginei o Zac Efron. Sou bem criativa, eu sei. Não lembro com detalhes do livro, mas imagino o Zach como um bad boy bonzinho – se isso fizer sentido.

É isso! Vou deixar a tag em aberto porque é muito chato quando a gente vê uma tag legal e não pode fazer porque não foi taggeado, né? Tá tudo liberado e quem quiser pode fazer! Espero muito que tenham gostado e se você fez/fizer deixa o link aí nos comentários pra eu ver, ok? Beijos e até o próximo post <3

PS: Tecnicamente eu peguei as perguntas da pessoa que taggeou o Sete Coisas, porque o dele era minha “esposa” e o meu tinha que ser “marido” :P

Arco-íris literário

08

Decidi no post de hoje responder a tag Rainbow Spines & Covers Book, traduzida para o português como arco-íris literário, que eu vi lá no A Series of Serendipity. Ela consiste selecionar um livro para cada cor do arco-íris e geralmente é feita em forma de vídeo, mas como eu não tenho um vlog e tenho vergonha, optei por fazer com fotos mesmo! Enfim, aqui estão as minhas escolhas:

Amarelo: Morte Súbita ∙ J.K. Rowling (!) ∙ Nova Fronteira

Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque. A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista. A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora de mais de 450 milhões de exemplares vendidos.

PS: Esse livro na verdade não é meu, porque eu, com toda a minha inteligência, esqueci o que eu tinha comprado pra mim no primeiro hotel que ficamos lá nos Estados Unidos :( Peguei emprestado ontem e vou começar a ler em breve!

09

11

Laranja: Um Dia ∙ David Nicholls ∙ Intrínseca

Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas – vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

22 23

Roxo: Fazendo Meu Filme 4 ∙ Paula Pimenta ∙ Gutemberg

Depois de uma ríspida separação, Fani e Leo agora têm que seguir caminhos diferentes. Porém, as juras de amor feitas no passado deixaram marcas profundas em seus corações, e, mesmo anos depois, eles ainda sentem as consequências daquele trágico dia. Será preciso mais um encontro, para que eles possam finalmente entender o que houve e libertar um ao outro? Ou será que isso devastaria ainda mais o seu destino? Acompanhe os apaixonantes personagens de Fazendo meu filme no livro final da série best-seller que conquistou milhares de leitores e leitoras em todo o Brasil. Não perca o desfecho dessa emocionante história de amor e prepare-se para torcer muito pela nossa querida Fani, nas cenas finais da sua busca pelo merecido final feliz.

27 25 26

Vermelho: Em Chamas ∙ Suzanne Collins ∙ Rocco

Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.

21 24

Verde: Peter Pan∙ J.M. Barrie ∙ Salamandra

Esta é a primeira tradução integral de Peter Pan publicada no Brasil. O livro. De verdade. Sem mediações mesmo as mais simpáticas – como a de Lobato ou as da Disney, cada uma delas hoje um clássico á sua moda. Mas agora temos Peter Pan de Sir James Barrie. Primeiro e único, seria o caso de dizer. Originalmente Peter Pan foi escrito como parte de um romance para adultos (do próprio Barrie) entitulado “Pequeno Passáro Branco” em 1902. Em 1904, no Teatro Duk of York em Londres foi encenada a primeira versão dramática da fantasia Peter Pan. Durante muito tempo, Barrie se recusou a escrever uma versão narrativa da peça, mas deu sua autorização a um número diferentes de versões alheias. Quando finalmente fez sua própria, Peter Pan e Wendy, em 1911, foi um fracasso considerado incompreensível. E os leitores desta tradução que se baseia nela logo perceberão por quê. O texto é ambíguo, coloca problemas interessantíssimos de enunciação, confunde fecundadamente no narrador as vissões estereotipadas de linguagem de adulto e linguagem de criança, carrega aluções ao mundo adulto de seus problemas. A presente tradução procura ser fiel não apenas ao texto fascinante da versão de 1911 mas também ao terreno movediço e inseguro por onde vive Peter Pan, mantendo a confunsão de tempos verbais do original e uma incurável saudade do primeiro encontro infantil com o personagem.

20 18 19

Índigo: Quase Pronta ∙ Meg Cabot ∙ Galera Record

Samantha foi convidada a passar o final de semana na casa de campo do seu namorado que não é ninguém menos que o filho do presidente! David tem mil atividades programadas para eles, mas Samantha desconfia que ele a tenha convidado por outro motivo. E, se for verdade, ela não tem certeza se vai estar preparada…

17 16

Azul: A Culpa é das Estrelas  John Green  Intrínseca 

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

13 14 12

15
Minha unha muito amor de nuvem! <3

Espero que tenham gostado! Xx

Fonte: Skoob